Docentes

Adriana Cabral dos Santos

Possui graduação em Letras e em Direito, ambas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Linguística, com ênfase em Análise de Discurso, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Tecnologia e Trabalho, na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). 

Contato: adrianacabral@utfpr.edu.br

 

 

 

 

Alice Matsuda

Possui Graduação em Letras Anglo Portuguesas e Especialização em Letras-Literatura Brasileira pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), Mestrado em Letras – Literatura e Ensino – pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e Doutorado em Letras – Estudos Literários – pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Pós-Doutora na Universidade de Coimbra em Portugal. Líder do Grupo de Pesquisa “Literatura Infantil e Juvenil: Análise Literária e Formação do Leitor”. Participa também como membro do grupo de pesquisa Discursos sobre Trabalho, Tecnologia e Identidades e do Grupo de Pesquisa em Linguística Aplicada (GRUPLA). 

Contato: alicem@utfpr.edu.br

 

A LITERATURA INFANTIL E JUVENIL CONTEMPORÂNEA: ESTUDO DE MÍDIAS, LINGUAGENS E TECNOLOGIAS

O presente projeto vincula-se ao Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação (DALIC), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, mais precisamente ao curso de Letras Português e Literatura. Além disso, está ligado ao Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens (PPGEL) e ao Grupo de Pesquisa (Des)Caminhos da Modernidade ao contemporâneo: estudos literários e em outras linguagens e Discursos sobre Trabalho, Tecnologia e Identidades . Nesse contexto institucional, o presente projeto está inserido na linha de pesquisa intitulada: Literatura Infantil e Juvenil e ao Projeto de pesquisa – Formação do leitor: estudo de mídias, linguagens e tecnologias . O foco do projeto tem o intuito de mapear o Estado da Questão de autores e obras teóricas que tratam da ciberliteratura para análise crítica de obras da literatura hipermidiática infantil e juvenil. A partir disso, traçar o perfil do leitor criança e jovem do século XXI para analisar de que forma se dá a leitura dos textos literários hipermidiáticos e qual a sua implicação na formação do leitor competente.

Formação do leitor: estudo de mídias, linguagens e tecnologias

O foco do estudo recai sobre o mapeamento do Estado da Questão de autores e obras teóricas que tratam da ciberliteratura para análise crítica de obras da literatura hipermidiática infantil e juvenil. Além disso, tem o intuito de traçar o perfil do leitor criança e jovem do século XXI para analisar de que forma se dá a leitura dos textos literários hipermidiáticos e em que implica na formação do leitor competente.

Nas quintas-feiras – quinzenalmente
Período da tarde, a definir

Ana Paula Silveira

Possui graduação em Letras – Língua Portuguesa e Literatura – pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e doutorado em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Professora com experiência na área de Linguística, com ênfase em semiótica, atuando principalmente noolines seguintes temas: multiletramento, leitura, tecnologia e ensino. 

Contato: apsilveira@utfpr.edu.br

 

 

Andréia Rutiquewiski Gomes

Graduada em Letras Português/Inglês pela Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória (1993), Mestre em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001) e doutora em Letras pela Universidade Federal do Paraná (2006). Realizou estágio pós-doutoral na Universidade do Salento (2017). É professora associada da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem experiência na área de Língua Portuguesa e Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: sintaxe, semântica, ensino de língua materna. 

 

 

 

Anuschka Lemos

Graduada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) com aperfeiçoamento em Fotografia pelo Internacional Center of Phtography (ICP). Mestre em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) e, também, em artes pela New School for Social Research. Doutora em Ciência da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP). Tem experiência na área de produção e análise de imagens, com ênfase em Fotografia e Comunicação. Como fotógrafa, após ter atuado na área comercial, dedica-se a projetos autorais desde 2000. Expôs seu material em diversos países da América Latina.

Contato: anuschkalemos@utfpr.edu.br

 

Camilo Catto

Graduado em Relações Públicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), especialista em Marketing pela UFPR e mestre em Administração pela mesma. Doutor em Comunicação Organizacional pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Implantou o Curso de Bacharelado em Comunicação Organizacional na UTFPR e é professor do curso. Possui grupo de pesquisa em Comunicação esportiva, além de pesquisar nas áreas de comunicação organizacional, marketing e metodologia de pesquisa.

Livro(s) de indicação: Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. 

Contato: camilo@utfpr.edu.br

 

Carolina Fernandes Mandaji

Possui Graduação em Comunicação Social – Habilitação Jornalismo – pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Mestrado e Doutorado em Comunicação e Semiótica – Área de Concentração Signo e Significação nas Mídias e linha de pesquisa Análise das Mídias – pela Pontifícia Universidade Católica (PUCSP). Cursou Cinema no Centro Europeu (2018). Tem experiência na área de Comunicação (com ênfase em Jornalismo Impresso, Audiovisual, Televisão, Gêneros Midiáticos) e desenvolve projetos de pesquisa em Sociossemiótica e Audiovisual. 

Contato: cfernandes@utfpr.edu.br

 

 

Organizações e o uso do audiovisual

O trabalho deste projeto será pautado pela leitura e discussão sobre os gêneros discursivos audiovisuais. A comunicação audiovisual possui determinadas regularidades e continuidades organizadas sequencialmente que irão determinar a interação e os efeitos de sentido entre os interlocutores. Tais estudos possibilitarão, enfim, relacionar a comunicação audiovisual à identificação e caracterização de regularidades e continuidades nos diferentes objetos.

Os usos e práticas audiovisuais: reflexões sobre o audiovisual como ferramenta das organizações escolares

O grupo busca investigar os diferentes objetos midiáticos audiovisuais pelo conceito de gêneros discursivos, numa perspectiva de formação e interpretação para a leitura audiovisual. O objetivo é incentivar o aprendizado dos discentes dos cursos envolvidos em trabalharem os conteúdos sobre Comunicação, Educação e Audiovisual estudados no decorrer das oficinas, aplicando-os no ambiente escolar e, como consequência, aprimorando sua capacidade de comunicação e sua técnica em conteúdos audiovisuais.

Quinzenalmente às 3as feiras às 13:30

Sociossemiótica e Organizações

Ciente do papel central que os fenômenos comunicativos instauram na vida cotidiana e individual da sociedade contemporânea e diante da certeza que as discussões iniciadas e incentivadas no ambiente universitário possibilitam um aprendizado contínuo teórico-prático necessário aos futuros profissionais, é que propomos colocar no centro do debate a temática das teorias da comunicação pensadas sob o viés epistemológico e interdisciplinar das organizações e do campo metodológico da Sociossemiótica.

Quinzenalmente às 3as feiras às 13:30

Cláudia Nociolini Rebechi

Professora do Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação (DALIC) e do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Sociedade (PPGTE) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Doutora e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Especialista pelo Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas (Gestcorp), do Departamento de Relações Públicas da ECA-USP. É pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho da ECA-USP/CNPq, do grupo de pesquisa Estudos em Comunicação Organizacional, Discursos e Processos Identitários da UTFPR/CNPq e coordenadora do grupo de estudos Comunicação e Trabalho nas Organizações no curso de bacharelado em Comunicação Organizacional da UTFPR.

Contato: claudiarebechi@utfpr.edu.br

Prescrições de Comunicação nas Relações de Trabalho:
um estudo da gestão da comunicação na atual lógica organizativa do trabalho

Este projeto objetiva identificar e analisar as prescrições de comunicação mobilizadas em apoio às atuais formas de gestão e organização do trabalho no âmbito de organizações empresariais. Amplos estudos no Brasil e no exterior demonstram que a configuração contemporânea do trabalho na sociedade capitalista admite novas maneiras de controlar socialmente e simbolicamente as relações de trabalho nos espaços considerados produtivos. Dentro desse contexto, parte-se do pressuposto de que variados usos da comunicação pelo comando das organizações, inclusive aqueles ligados aos avanços tecnológicos, respondem aos princípios estabelecidos pelas atuais formas de gestão e organização do trabalho, combinando duas matrizes: a evolução das relações de produção e as relações de dominação social. Assim, pretende-se, com o desenvolvimento deste projeto, evidenciar e discutir os ditames da gestão da comunicação alinhados aos princípios orientadores da gestão do trabalho dentro da lógica dominante dos sistemas produtivos hegemônicos em seu presente momento histórico. Considerados, nesta proposta, como “prescrições de comunicação”, esses ditames se manifestam em enunciados produzidos e difundidos por variados discursos que se inter-relacionam no mundo do trabalho.

Grupo de Estudos em Comunicação e Trabalho nas Organizações

O propósito desse Grupo de Estudos é discutir a comunicação a partir do mundo do trabalho, considerando-a, seja como atividade ou como processo, relacionada diretamente às transformações das formas de gestão e organização do trabalho na sociedade industrial e capitalista.

Tendo isso em vista, três pressupostos fundamentais para se pensar a comunicação nas relações de trabalho em organizações orientarão as discussões do Grupo de Estudo: (1) a comunicação é constituída nas dinâmicas ligadas às relações de produção, isto é, a comunicação emerge do mundo do trabalho concreto, mesmo que o foco de análise seja as relações simbólicas (o da linguagem, por exemplo); (2) a gênese da comunicação integra as relações de força, de dominação, de coerção que permeiam as relações entre trabalhadores e seus empregadores/direção nas organizações, haja vista que os conflitos de classe são gerados, em grande medida, pelas relações de produção do sistema capitalista em que vivemos – desse modo, a comunicação não é uma fonte autônoma de poder; e, por fim, (3) a comunicação não se reduz a mecanismos de transmissão de informação, tampouco é considerada como sinônimo de mídia.

Com esse esforço de estudo e de discussões a ser realizado pelo Grupo, pretende-se oferecer aos seus participantes condições de compreender e refletir criticamente sobre os usos e as manifestações da comunicação nas relações de trabalho em contextos organizacionais.

Data e horário: quinzenalmente, às quintas-feiras, das 17h00 às 18h30.

Cristiano de Sales

Professor de literatura. Doutor em literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com estágio doutoral na Université Sorbonne Nouvelle Paris 3. Realiza estudos em verso e prosa da literatura brasileira do século XX, teorias literárias e um pouco de filosofia e artes visuais. Pesquisa a desaceleração na vivência do tempo por meio da arte moderna e contemporânea.

Livro(s) de indicação: Claro Enigma, de Carlos Drummond de Andrade.

Contato: cristianosales@utfpr.edu.br

 

 

Literatura e meio digital

Estudar que tipo de questões da tradição dos estudos literários podem ser recolocadas e, consequentemente, reescritas, tendo em vista que alguns poetas lançam mão da escrita digital contemporânea (verbo, sons e imagens programadas) para fazer literatura. A aproximação de dois campos distintos de conhecimento só se consolida em contribuição efetiva para uma população de uma determinada época se algo nos dois campos passar por alguma modificação a partir da convivência. O objetivo é refletir sobre essas possíveis modificações para continuarmos pensando o que sempre interessou à literatura, as relações humanas.

Cristina de Souza Prim

Graduada em Letras-português na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestre em linguística pela mesma Universidade e doutora em linguística na Universidade de Campinas (Unicamp). Pesquisa sintaxe na perspectiva da linguística gerativa, mas se interessa também por morfologia, aquisição de linguagem e semântica, tem grupo de estudos de aquisição de linguagem. 

Contato: cristinaprim@utfpr.edu.br

 

 

 

Sintaxe de Adjetivos

O objetivo da pesquisa é entender um pouco mais sobre as regras sintáticas envolvidas no posicionamento dos adjetivos pré e pós-nominais do Português Brasileiro. Listo algumas perguntas que precisam ser respondidas:

1. O que motiva o movimento do adjetivo para a posição pré-nominal?
2. Por que apenas alguns adjetivos intercambiam de posição?
3. Como lidar com a coocorrência de adjetivos?
4. Por que é possível encontrar ambiguidade na posição pré e pós-nominal?
5. Que elementos podem influenciar o posicionamento do adjetivo dentro do DP?

Edna Miola

Professora graduada em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda  pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Mestre em Comunicação e Cultura Contemporânea pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Coordena a Linha de Pesquisa Governança Pública e Desenvolvimento na Universidade Tecnológica Federal do Paraná.Pesquisadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT.DD), coordena o Grupo de Pesquisa Discurso, Comunicação e Democracia (DISCORD); integrante do Grupo de Pesquisa Estudos em Comunicação Organizacional: Cultura, Discursos e Processos Identitários (UTFPR), do Grupo de Pesquisa em Política e Novas Tecnologias (PONTE/UFC) e do Centro de Estudos Avançados em Democracia Digital (CEADD/UFBA). 

Contato: ednam@utfpr.edu.br

1) Dilemas da Comunicação no âmbito do Estado: conflitos entre a Propaganda e o Interesse Público

O objetivo da pesquisa é investigar, a partir das dimensões discursiva e tecnológica, as tensões existentes entre a comunicação estatal orientada pelo interesse público e a comunicação persuasiva, em suas mais diversas manifestações (a exemplo dos portais governamentais online, do uso de redes sociais digitais por parte do estado e de seus agentes, de iniciativas que promovem a participação, a transparência ou o provimento de serviços a partir de plataformas de comunicação mediada).

2) Comunicação Digital e Promoção de Vendas no Varejo: Um estudo do Grupo Ponto Frio no Twitter (projeto financiado pela Chamada MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº 43/2013)

O projeto de pesquisa investiga o uso das redes sociais online – especificamente o Twitter – como ferramenta de promoção de vendas da empresa de comércio de varejo Ponto Frio. Pretende-se categorizar e analisar o conteúdo produzido; avaliar as interações promovidas; compreender os objetivos que levam uma empresa a investir em tal estratégia de comunicação persuasiva; e analisar as expectativas, as motivações e as avaliações do próprio público que interage com a rede de lojas por meio do Twitter.

Grupo de Pesquisa Discurso, Comunicação e Democracia – DISCORD

O Grupo de Pesquisa Discurso, Comunicação e Democracia (DISCORD) tem como objetivo discutir e investigar temas pertinentes à interface entre a Comunicação e a Política, com ênfase nos discursos que perpassam as estratégias de atores e organizações voltadas para a prática democrática e que se utilizam das tecnologias e das linguagens da Comunicação.
Áreas de pesquisa: Comunicação Política; Mídia e eleições (cobertura jornalística, bem como campanhas políticas), Democracia digital; Deliberação pública; Políticas de comunicação.
discordgrupo.wordpress.com

Elza Aparecida Oliveira Filha

Graduada em Jornalismo e Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e também Doutora em Ciências da Comunicação pela Unisinos. Pesquisa  aspectos variados do jornalismo e comunicação empresarial. Além disso, faz parte de grupo de pesquisa do Observatório Paranaense de Mídia – atualmente com projeto de pesquisa envolvendo as cinco entrevista realizadas pelo Jornal Nacional com os candidatos à Presidência no ano de 2018. Nos três anos anteriores, o grupo trabalhou com pesquisas na comunicação da Itaipu Binacional (Plano de Comunicação e recepção da comunicação da empresa junto aos funcionários). O seu projeto de extensão Letramento midiático: abordagens sobre fake news para estudantes de quinto a sétimo anos em escolas públicas de Curitiba está em fase de homologação. Dedicou onze anos de sua carreira ao jornalismo e ao observatório de mídia antes de lecionar na UTFPR.  “É nosso compromisso, como docentes e discentes da universidade pública, defender o ensino público, gratuito, inclusivo e de qualidade”.

Livro(s) de indicação: A Mídia e a Modernidade, de J.B.Thompson; Por uma Outra Comunicação, de Dênis de Moraes (org), Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa.

Contato: elzafilha@utfpr.edu.br

Observatório Paranaense de Mídia com Ênfase na Comunicação Organizacional

A comunicação da empresa binacional Itaipu: com base em farto material de pesquisa, o projeto busca mapear e avaliar as produções de veículos de comunicação impressos da companhia. O jornal pioneiro foi o Informativo Unicon, que circulou entre 1978 e 1988, na época da construção da hidrelétrica e, mais tarde, foi substituído pelo Jornal da Itaipu e pela Revista Itaipu. A coleção completa destes (e outros) veículos está disponibilizada ao projeto de pesquisa, assim como o Plano de Comunicação Empresarial da Margem Esquerda, aprovado em 2007. Ao completar dez anos, o Plano oferece a oportunidade de promover reflexões a respeito de diferentes estratégias comunicacionais internas e externas.

Observatório Paranaense de Mídia

Observar a mídia, sobretudo a paranaense, tendo como foco a defesa dos interesses da cidadania e os direitos humanos; Acompanhar coberturas jornalísticas, promover pesquisas e desenvolver análises sobre os conteúdos noticiosos disponibilizados ao público; Avaliar campanhas publicitárias, observando o respeito aos direitos dos consumidores, a informação responsável e a ética; Analisar produtos de Comunicação Organizacional de instituições públicas, privadas e do terceiro setor visando dimensionar a efetividade do processo comunicativo. Desenvolver ações de educação para mídia, contribuindo para o consumo crítico dos meios de comunicação.

Terça-feira 18 horas

Evandro de Melo Catelan

É graduado em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (2004). Possui Mestrado em Educação pela mesma instituição (2007) e é Doutor em Letras pela Universidade Federal do Paraná – UFPR (2013). Professor do Magistério Superior da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Campus Curitiba e Professor do Mestrado Profissional em Ciências Humanas – PPGEM no Campus Londrina. Tem experiência na área de Linguística Textual, estudando principalmente: gêneros do discurso, argumentação, retórica; leitura e produção de gêneros acadêmicos. Participante do grupo PROTEXTO – UFC.  Participa do grupo de estudos do texto e discurso.

Contato: evandrocatelao@utfpr.edu.br

 

Gustavo Nishida

Graduado em Letras Português/Espanhol, Mestre em Letras e Doutor em Letras pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atuante nos temas de pesquisa sobre: róticos, fonética acústica, modelos fonológicos, primitivos de análise fonológica, Fonologia Articulatória e Fonologia Acústico-Articulatória; e discussão sobre a fronteira entre a fonética e a fonologia; teorias sobre a percepção da fala; história e filosofia da linguística; tecnologias da fala; reconhecimento automático de fala; letramentos; canção popular. 

Contato: gustavonishida@utfpr.edu.br

 

 

Percepção e tecnologias da fala: grupo de estudos e discussões teóricas e experimentais

Este projeto de pesquisa tem como objetivo geral discutir o que vem a ser a percepção da fala e testar as propostas teóricas disponíveis na literatura especializada. Para essa discussão, temos como objetivos específicos:
1. a busca por argumentos experimentais para introduzir outros sentidos no tratamento da percepção da fala (Gibson, 1966);
2. a análise de como se dá a percepção da fala em condições reais de uso para implementação em softwares de telefonia móvel;
3. o desenvolvimento de estudos acerca do reconhecimento de fala através de máquinas.

Percepção e tecnologias de fala

O objetivo do grupo de estudos é realizar discussões sobre textos que tratem de descrições acústicas da fala bem como métodos experimentais que auxiliem a construção de pesquisas na interface entre a linguística e a tecnologia. Atualmente, espera-se que tais discussões colaborem com a construção de dispositivos para a automação doméstica através de comandos de voz.

Janete Ferron

Graduada em Letras Português/ Inglês, especialista em Letras – Linguística e mestre em Letras pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Tem experiência na área de Comunicação e Letras, com ênfase em Filosofia da Linguagem e Análise do Discurso. Desenvolve estudos abordando principalmente os seguintes temas: crônica brasileira, dialogismo, comunicação, sujeito e discurso. 

Contato: janetef@utfpr.edu.br

 

 

 

1) Discursos sobre Trabalho, Tecnologia e Identidades
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6885333178699826

O Grupo advoga a centralidade da linguagem na constituição do ser social. A linguagem faz a mediação entre os homens e as coisas. Outra mediação importante no processo de constituição do ser humano é o trabalho e a tecnologia, vocações humanas. Por intermédio destes o homem também se constitui em ser social, modificando e alterando o seu entorno e a si mesmo. A cultura vai sendo também constituinte do ser social e nesse processo cultural o homem vai criando identidades locais, de grupo, de guetos e também identidades nacionais. Tendo por base uma pesquisa interdisciplinar na área da Filosofia da Linguagem (Mikhail Bakhtin, O Círculo BMV e Michel Foucault), na Análise do Discurso russa e francesa, no estudo das formações culturais de identidades nacionais e ocidental, o grupo pesquisa a manifestação discursiva do universo da tecnologia, do trabalho e das identidades nacionais e estrangeiras em textos de gêneros diversos.

2) Estudos em Comunicação Organizacional: Cultura, Discursos e Processos Identitários
dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9582152980108107

O Grupo de Pesquisa vinculado ao Departamento de Comunicação e Linguagem da UTFPR se constitui como um espaço de discussão sobre a prática da comunicação organizacional. Parte-se do conceito de comunicação como articulador, aquele que organiza a sociedade, a linguagem, o saber, os processos dialógicos. Portanto, interessa em especial compreender os processos culturais, os discursos e os jogos de poder presentes nas interações e relações das organizações e sociedade. Entende-se, porém, de modo transversal, pela multiplicidade de perspectivas teóricas abarcadas pelo grupo, que não se trata de excluir visões, mas de somar para a constituição de um objeto comunicacional, apontando para a sistematização de conceitos que envolvam a tríade organizações, processos e sociedade. Assim, a repercussão esperada pelo grupo é estimular a produção científica acadêmica, a partir de publicações em revistas e participação em eventos afins

João Augusto Moliani

Graduado em Jornalismo, especialista em Projetos Empresariais Públicos e Privados  e Mestre em Letras/Linguística todos pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP). Dedica-se aos estudos sobre trabalho dos jornalistas em novos arranjos produtivos e o trabalho dos assessores de imprensa em agências especializadas na área.

Contato: moliani@utfpr.edu.br

 

 

 

O projeto se intitula "A verdade entre o absoluto e o instrumental: O trabalho em assessorias de comunicação de Curitiba" e busca identificar a atividade de trabalho na área de comunicação organizacional, considerando o perfil dos profissionais que atuam em agências de comunicação e assessorias de imprensa e se propõe, à luz dos princípios da ergologia e dos conceitos de ‘Comunicação e Trabalho’, tendo o dispositivo dinâmico de três pólos e a clínica de trabalho como metodologias de pesquisa, a desvendar a atividade de trabalho desses profissionais e contribuir para a consolidação do campo científico da Comunicação.

Kalliandra Conrad

Possui graduação em Comunicação Social – Relações Públicas pela Universidade Federal de Santa Maria (2012), mestrado em Comunicação Midiática, na linha Mídia e Estratégias Comunicacionais (2014) e doutorado em Comunicação pela mesma instituição (2018). Na pesquisa, tem interesse nos seguintes temas: comunicação comunitária, estratégias comunicacionais, produção de sentidos e questões de gênero e desigualdade. No âmbito da extensão atua na gestão de eventos, juntamente com a disciplina de Organização de Eventos do curso de ComOrg da UTFPR.

Livro(s) de indicação: A Vida que Ninguém Vê, de Eliane Brum; O Peso do Pássaro Morto, de Aline Bei; Presos que Menstruam, de Nana Queiroz; Olhos d’água, de Conceição Evaristo.

Contato: kconrad@utfpr.edu.br

Luciana Pereira da Silva

Professora da área de Letras-Linguística. Começou a formação em Letras Português-Inglês na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), na sequência cursou Mestrado em Letras na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Doutorado em Letras Universidade Federal do Paraná (UFPR). Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), realizou programa de Pós-doutoramento em Linguística Aplicada. Pesquisa em texto como protagonista; seja como objeto teórico ou como ferramenta para o processo ensino-aprendizagem; sempre a partir da perspectiva da Linguística Textual. Integra o grupo de pesquisa GRUPLA (Grupo de Pesquisa em Linguística Textual), que desenvolve atividades e reflexões no campo da pesquisa e extensão universitária na área de Linguística Aplicada.

Livro(s) de indicação: Introdução à linguística textual: trajetória e grandes temas, de Ingedore Villaça Koch e Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis.

Contato: lucianasilva@utfpr.edu.br

Marcelo Fernando de Lima

Graduado em Jornalismo (1992, PUC-PR), mestre (1998) e doutor (2010) em Letras (UFPR), professor-adjunto da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Câmpus Curitiba, atuando no Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação (DALIC), nas graduações em Letras e em Comunicação Organizacional e no Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens (PPGEL). Trabalhou por uma década como repórter e assessor de comunicação. É autor de Sobre galhos, esqueletos (Aos Quatro Ventos, 1999), Nas trilhas de Saint-Hilaire (FCU, 2002) e Jornalismo cultural e crítica (Editora UFPR/Argos, 2013). Atua também como professor e orientador de TCCEs no Curso de Especialização em Ensino de Língua Portuguesa e Literatura (UTFPR-UAB), ministrando a disciplina de Literatura e Estudos Culturais.

Contato: marcelolima@utfpr.edu.br

Literatura e Mídia

O objetivo deste projeto é propor uma pesquisa que busque estudar as transformações da linguagem da arte literária sob o impacto das mudanças tecnológicas e das mídias.
Objetivo geral: Pesquisar o impacto das mídias na formação da linguagem literária.
Objetivos específicos: Identificar as diversas tendências teóricas que discutem a influência das mídias na formação das linguagens literárias;
- Fazer um histórico das transformações da linguagem literária em relação às mudanças tecnológicas e em função do surgimento de novas mídias;
- Estudar as obras de autores que contribuíram com inovações na linguagem literária em função do diálogo com outras mídias;
- Identificar procedimentos literários originalmente relacionados a outras mídias e incorporados à linguagem da literatura.

Marcelo Franz

Formado em Letras com habilitação em Português e Francês, Mestre em Literatura Brasileira, pela Universidade Federal do Paraná (UFPR),  Doutor em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP). Ainda na USP estudos de Pós-Doutorado em Teoria Literária no DTLLC da FFLCH trabalhando o tema “Do Lido ao Vivido – O significado da Leitura na Ficção Memorialística”. Pesquisador do grupo de pesquisa (Des)caminhos da modernidade ao contemporâneo: estudos em literatura e outras linguagens.

Contato: marcelofranz@utfpr.edu.br

 

 

Marcelo Stein

Possui graduação em Licenciatura em Física pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e mestrado em Ciências da Computação e Matemática Computacional pela Universidade de São Paulo (1993). Atualmente é professor assistente do Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem lecionado e pesquisado sobre os seguintes temas: uso da Internet na comunicação, uso de mídias sociais na comunicação, teoria da comunicação e filosofia, teoria do ator rede e comunicação. Anteriormente realizou pesquisa sobre interação ser humano-computador, aspectos humanos do design, usos da Internet para o aprendizado, e usos da WWW para diferentes comunidades de prática. Tem interesse também em temas de Epistemologia e Sociologia Ambientais, particularmente em questões sobre filosofia e lugar. 

Contato: stein@utfpr.edu.br

Márcio Matiassi Cantarin

Graduado em Letras/Literatura pela Faculdade Estadual de Filosofia Ciências e Letras de Jacarezinho, Mestre em Letras/Estudos Literários pela Universidade Estadual de Londrina e Doutor em Letras/Literatura e Vida Social pela Universidade Estadual Paulista. Faz parte da equipe de investigadores do CLEPUL (FLUL – Lisboa), do Grupo de Estudos Eco críticos (GECO – UFPR) e é membro da seção brasileira da Association for the Study of Literature and Environment (ASLE).  

Contato: cantarin@utfpr.edu.br

 

 

(Des)caminhos da modernidade ao contemporâneo: estudos em literatura e outras linguagens

Certificado pela UTFPR e CNPq, o grupo reúne professores e pesquisadores da área de Letras, vinculados ao DALIC e desenvolve pesquisa, projetos e trabalhos nessa área em constante intersecção com outros campos do conhecimento. Os trabalhos se desenvolvem por meio de um esforço conjugado com outras linguagens artísticas, Filosofia, História, Tecnologia, entre outros campos do conhecimento, para verificar as aproximações e distanciamentos de temas concernentes à modernidade e ao contemporâneo.

Feminismo, pós-colonialismo e teorias afins

Estudo das teorias que tangenciam as relações coloniais e o feminismo como forma de compreensão e abordagem de objetos artísticos em geral e do texto literário em particular.

Maria de Lourdes Rossi Remenche

Professora Adjunta III da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) com pós-doutorado em Educação pela Universidade do Minho (UM – PT). Doutora em Linguística pela Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de São Paulo (USP), Mestre em Estudos da Linguagem (UEL), Especialista em Língua Portuguesa (UEL) e Graduada em Letras Vernáculas e Anglo (UEL). A pesquisadora é docente do Programa de Pós-Graduação em Estudos das Linguagens/PPGEL, líder do Grupo de Pesquisa em Linguística Aplicada (GRUPLA), e desenvolve pesquisas na área de Multiletramentos, Discursos e Práticas de leitura e escrita na contemporaneidade. 

Contato: mremenche@utfpr.edu.br

 

Grupo de Pesquisa em Linguística Aplicada – GRUPLA

O GRUPLA desenvolve investigação no campo de pesquisa e extensão universitária na área da Linguística Aplicada. Para tanto, parte-se de uma concepção interacionista de linguagem e de sujeito sócio-historicamente situado. Os interesses de pesquisa e extensão organizam-se nos seguintes eixos: a) formação de professores de língua portuguesa; b) estudos dos letramentos; c) estudos de gêneros discursivos; d) estudos do discurso; d) leitura, literatura, produção e análise linguística.

Grupo de Estudos: Discurso e Tecnologia (GEDTEC)

O Grupo de Estudos: Discurso e Tecnologia (GEDTEC) faz parte das ações de pesquisa do GRUPLA, e proporciona um espaço-tempo de discussão teórico-metodológica sobre produções discursivas geradas/produzidas na contemporaneidade, sobretudo em textos-enunciados ligados às tecnologias digitais. Nesse contexto, são tematizados conceitos como linguagem, discurso, tecnologia, práticas e eventos de letramento. O objetivo é discutir os sentidos produzidos pela linguagem em uso, nas diferentes esferas da atividade humana, e que são materializadas em textos-enunciados. O grupo é Coordenado pelas professoras Maria de Lourdes Remenche e Nívea Rohling e agrega pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação na área de Letras e Comunicação. O GEDTEC promove ciclos de palestras e publicações para divulgar os resultados de pesquisa.

Quinta-feira, 14h, quinzenalmente.

Maurini de Souza

Graduada em Jornalismo, Letras Alemão e Letras Português pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Mestre em Letras e Doutora em Letras pela mesma instituição. Pesquisa silenciamento e silenciados na comunicação, comunicação e arte política – análise do discurso francesa nas mídias e a questão agrária brasileira. Atua nos grupos de pesquisa intitulados Estudos em Comunicação Organizacional: Cultura, Discurso e Processos Identitários, Discursos sobre Trabalho, Tecnologia e Identidades e Corpo, Cena e Visualidade. É líder do projeto de extensão no grupo de teatro Revanche. Para uns pode ser conhecida como doida, muitas vezes incompreendida. “Lang ist nicht ewig!”

Livro(s) de indicação: As linguagens do presente; Comunicação e Formações Socioculturais (Maurini de Souza – Syntagma Editores).                                    Disponível para baixar em: http://www.syntagmaeditores.com.br/Livraria/Book?id=1063

Contato: maurini@utfpr.edu.br

Hibridismo de estudos em prol à plurivocidade nas mídias sociais: Empoderando o silenciado

Propõe-se o desenvolvimento de pesquisa que preconize o hibridismo nos estudos como articulador de investigações de âmbito analítico e proposicional nas mídias da contemporaneidade - internet, televisão e cinema. Também pretende-se interventor na medida em que busque caminhos para inserir a população não especializada academicamente como articuladora de informação, defendendo o uso dos diversos gêneros (do discurso e literários) e as diferentes variantes sociais. Assim acredita-se que é possível, por meio da averiguação teórica, apontar argumentos que pautem o empoderamento (como ação coletiva fruto de conscientização e conquista de condições para intervenção social) de parcela significativa da população, não reconhecida e não encontrada como fonte de informação escrita.

Silenciamento de arredores

Sob as bases teóricas da Análise do Discurso Francesa, Nova História e teoria da Comunicação, formular entendimento sobre as relações da comunicação de resistência visando ao empoderamento dos arredores (população silenciada pela grande mídia)

Quinzenalmente, quartas-feiras, 12h15.

Naira de Almeida Nascimento

Professora de Literaturas de Língua Portuguesa da UTFPR desde 2010. Graduada em Letras (Português e Literaturas) pela UFRJ; Mestre e Doutora em Estudos Literários pela UFPR.

Contato: naira@utfpr.edu.br

 

 

 

 

Rocha Pombo: Modernidade e Identidade regional na literatura paranaense.

Mentor de diversos integrantes que constituíram a geração simbolista paranaense, Rocha Pombo assinou uma obra heterogênea entre a literatura e a história; entre o ensaio, o romance e a épica; entre a a tradição colonial brasileira e o país que tomava corpo com a República e as novas correntes imigratórias. A Guayrá, poema épico publicado em 1891, patenteia esse panorama de instabilidades políticas e sociais. Enquadrado nos moldes do indianismo romântico, A Guayrá, apela para uma voz latino-americana violentada em sua expressão e direito, ao mesmo tempo que concorre para uma identificação regional da recente província paranaense.

A Guayrá, de Rocha Pombo, entre o indianismo romântico e a criação de uma identidade paranaense.

Análise do poema épico A Guayrá, a partir de outras peças românticas de feição indianista, tais como A confederação dos Tamoios e O guesa, e de textos historiográficos sobre a questão indianista no contexto da publicação da obra. Procura-se perceber como o tema é retomado por Rocha Pombo do ideário romântico para expressar a contrução imagética de um novo espaço político: a província paranaense, recorrendo para isso à narrativa do mítico Caminho de Peabiru.

Nivea Rohling

Doutora em Linguística, na área de concentração Linguística Aplicada, mestre em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e graduada em Letras-Português da Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). Professora Adjunta IV da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Campus Curitiba. Docente do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens (PPGEL) e da Graduação em Letras. Pesquisa as seguintes temáticas: Relações entre Discurso, Identidade, Linguagem e Tecnologia, Análise de Discurso e de Gêneros Discursivos na abordagem Dialógica de Linguagem; Ensino/Aprendizagem de Língua Portuguesa; Ideologias linguísticas e relações identitárias. Coordenadora Adjunta do PPGEL. Coordenadora do Curso de Especialização em Ensino de Língua Portuguesa e Literatura – UAB-CAPES_UTFPR. É líder do Grupo de Pesquisa em Linguística Aplicada (GRUPLA). Membro do GT – Gêneros Textuais/Discursivos da ANPOLL.

Contato: nivear@utfpr.edu.br

Grupo de Pesquisa em Linguística Aplicada – GRUPLA

O GRUPLA desenvolve investigação no campo de pesquisa e extensão universitária na área da Linguística Aplicada. Para tanto, parte-se de uma concepção interacionista de linguagem e de sujeito sócio-historicamente situado. Os interesses de pesquisa e extensão organizam-se nos seguintes eixos: a) formação de professores de língua portuguesa; b) estudos dos multiletramentos; c) estudos de gêneros discursivos; d) estudos do discurso; e) leitura, literatura, produção e análise linguística.

O Grupo de Estudos: Discurso e Tecnologia - GEDTEC

O GEDTEC faz parte das ações de pesquisa do GRUPLA, e proporciona um espaço-tempo de discussão teórico-metodológica sobre produções discursivas geradas/produzidas na contemporaneidade, sobretudo em textos-enunciados ligados às tecnologias digitais. Nesse contexto, são tematizados conceitos como linguagem, discurso, tecnologia, práticas e eventos de letramento. O objetivo é discutir os sentidos produzidos pela linguagem em uso, nas diferentes esferas da atividade humana, e que são materializadas em textos-enunciados. O grupo é coordenado pelas professoras Maria de Lourdes Remenche e Nívea Rohling e agrega pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação na área de Letras e Comunicação. O GEDTEC promove ciclos de palestras e publicações para divulgar os resultados de pesquisa.

Quinta-feira - 14h, quinzenalmente

Paula Ávila Nunes

Graduada e doutora pela universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS) em Letras (Português/Inglês) e Estudos da Linguagem, respectivamente. Especialista em Estudos do Texto e do discurso. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística da Enunciação, sobretudo em sua relação com tradução e o ensino de língua e de produção textual, além de questões epistemológicas que permeiam as diferentes teorias que tomam o discurso e a enunciação como objeto. Também atua no âmbito de Língua Portuguesa, com interesse maior em ensino e avaliação discente.

Contato: paulanunes@utfpr.edu.br

 

 

Relações entre leitura e escrita em mídias digitais

O Projeto se insere na linha de pesquisa Multiletramentos, discurso e processos de produção de sentidos do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens (PPGEL) da UTFPR. Nele, são estudadas novas formas de leitura e escrita suscitados por novos aparatos eletrônicos, tais como celulares, tablets e computadores, visando a investigar as diferenças que tais meios apresentam quanto aos processos cognitivos e linguísticos exigidos do leitor/escritor quando comparados ao material impresso em papel. Busca-se investigar também, como consequência, o estatuto dos hipertextos, questionando se se tratam efetivamente de uma nova modalidade de leitura e/ou escrita, ou apenas de um novo suporte, que exige estratégias de leitura e produção textual já conhecidas.

Encontros momentaneamente suspensos

O grupo tem por objetivo estudar diferentes abordagens dentro do que se convencionou chamar de Filosofia da Tecnologia, verificando de que forma tais teorias e concepções dialogam (ou não) com teorias linguísticas modernas. Baseado no formato de análise denominado História das Ideias Linguísticas, muito comum na Europa, busca-se avaliar de que forma a Linguística pode e deve dialogar com a Filosofia da Tecnologia, uma vez que tanto linguagem quando tecnologia singularizam o homem em sua existência, diferenciando-o de outros animais e criando comunidades que, por serem linguísticas, também são sociais, históricas e ideológicas.

Roberlei Bertucci

Professor de Língua Portuguesa, com ênfase na área de linguística. Formado em Letras Português – Inglês pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Mestre em Linguística pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Doutor em Linguística pela Universidade de São Paulo (doutorado sanduíche em Paris na Ecole Normale Supérieure Paris). Realizou estágio pós-doutoral na Bar Ilan University de Israel. Pesquisa em semântica das línguas naturais, em especial no português brasileiro, e semântica em textos escritos. É integrante do Núcleo de estudos e linguística, tecnologia e suas interfaces (NELTI) e faz parte do projeto de extensão do Cursinho Solidário.

Livro(s) de indicação: O Cérebro no Mundo Digital, de Marianne Wolf, 2019;        Semântica – série Para Conhecer, de Ana Paula Gomes e Luciana Sanchez Mendes, 2018.

Contato: bertucci@utfpr.edu.br

Processos de produção de sentido: da cognição ao discurso

Os processos de produção de sentido nas línguas naturais derivam da imbricação de fatores cognitivos, formais e sócio-históricos. Dessa forma, os participantes desse projeto entendem que linguagem e tecnologia são fundantes para o ser humano, visto que o funcionamento linguístico é balizado tanto pelo conhecimento cognitivo quanto pela inserção sócio-histórica dos sujeitos que delas se utilizam para produzir e reproduzir sentidos. O objetivo do projeto, portanto, é pesquisar os modos pelos quais são produzidos sentidos por meio das línguas naturais, considerando também relações com a tecnologia, quer por seus dispositivos de mediação, quer por sua contribuição na análise de fenômenos linguísticos.

Rogério Caetano de Almeida

Professor Doutor de Literatura Brasileira da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), vinculado ao Departamento de Linguagem e Comunicação (DALIC). Graduação em Letras (Português e Inglês) pela Universidade Ibirapuera (2000). Especialização em Crítica Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP – (2002). Mestre em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa DLCV/ FFLCH-USP como bolsista do CNPQ (2007). Doutor na área de Literatura Portuguesa pelo DLCV/ FFLCH-USP como bolsista CAPES (2012). Atualmente,  coordena o Grupo de Estudos “Estranho, Fantástico e Grotesco: da Modernidade ao Contemporâneo em Literatura e outras linguagens”. Atua como professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem (PPGEL) da UTFPR. 

Contato: rogerioalmeida@utfpr.edu.br

Rossana Finau

Graduada, mestre e doutora em Letras e Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Possui experiência em Linguística e atua nas áreas de linguagem e surdez, ensino-aprendizagem de língua e multiletramentos, aquisição de linguagem e estudos semânticos. Dedica-se a pesquisa sobre processos de produção de sentido e tecnologia e aspectos linguísticos na produção de sentidos em textos digitais multimodais. 

Contato: rossana@utfpr.edu.br

 

 

Aspectos linguísticos na produção de sentidos em textos digitais multimodais.

Processos de produção de sentido e tecnologia.

Os processos de produção de sentido nas línguas naturais derivam da imbricação de fatores cognitivos e formais. Assim, aqui, considera-se que as línguas naturais são sistemas linguísticos constituídos de uma gramática com estratos específicos, cada qual com uma contribuição própria para o processo de produção de sentidos. Dessa forma, os participantes desse projeto entendem que linguagem e tecnologia têm uma relação fundamental em diferentes esferas, como na apropriação, no ensino e, fundamentalmente, na pesquisa linguística. O objetivo do projeto, portanto, é pesquisar os modos pelos quais são produzidos sentidos por meio das línguas naturais, considerando também relações com a tecnologia.

NUPELIS – Núcleo de Pesquisa em Línguas de Sinais

Este grupo de estudos procura investigar como se estabelece a atribuição de significados às expressões das línguas humanas, em destaque as de sinais. Para tanto, será considerada à diversificação dos meios em que se dá a comunicação: analógicos e digitais. Isso porque é importante avaliar, por exemplo, se há diferença nos recursos linguísticos selecionados para a produção de sentido entre textos digitais (verbo-visuais e escritos) e os de meios dos impressos. Além disso, estudos sobre mecanismos computacionais mais adequados para resolver questões de significação em PLN também são temáticas desse grupo.

Quintas-feiras, 17h

Valéria de Oliveira Santos

Graduada em Comunicação Social, mestre em Antropologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), possui, também, especialização em Magistério Superior e doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo. Faz parte do Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana (USP) e do Grupo de Pesquisa Estudos em Comunicação Organizacional, Discursos e Processos Identitários (UTFPR). 

Contato: valeri@utfpr.edu.br

 

 

 

Wellington Teixeira Lisboa

Professor Adjunto do Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus Curitiba. Doutor em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestre em Comunicação pela Universidade de Coimbra, com diploma revalidado pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP). Bacharel em Comunicação Social, habilitação Relações Públicas, pela Universidade Católica de Santos. Principais áreas e temas de atuação: migrações internacionais e processos comunicacionais; comunicação interpessoal e tecnológica nas organizações multiculturais.

Contato: wtlisboa@utfpr.edu.br

 

Zama Caixeta Nascentes

Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade Federal Paraná (UFPR), Mestre em Filosofia, Especialista em Filosofia Política  todos pela mesma Universidade. Especialista em Língua Portuguesa pelo Centro Universitário Patos de Minas (UniPam). Graduado em Psicologia pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), graduado em Filosofia pelo Centro Universitário de Adamantina (FAI), graduado em Letras pelo Centro Universitário Patos de Minas (UniPam). 

Contato: zcaixeta@utfpr.edu.br

 

 

Psicanálise: Literatura e Comunicação Organizacional

O objetivo é articular Psicanálise e Literatura, Psicanálise e Comunicação Organizacional. A metodologia consiste na leitura de textos de Freud (posteriormente, de Lacan), a começar por “A interpretação dos Sonhos”), na análise de romances da Literatura Brasileira (a iniciar por “Grande Sertões: Veredas”, de Guimarães Rosa), na discussão de textos clássicos sobre Organizações e Comunicação Organizacional que se apóiam (explícita ou implicitamente) em conceitos psicanalíticos.

Psicanálise: Literatura e Comunicação Organizacional

Grupo em funcionamento semanal desde 27/08/2015, com leitura de “A interpretação dos sonhos”, de Freud. A partir da segunda quinzena de outubro, haverá dois encontros para leitura de Freud, um para análise de “Grande Sertão: Veredas” e outro para discussão dos textos sobre Organizações e Comunicação Organizacional. Não há pré-requisito acadêmico para participar. O que há que haver é o desejo de estudar Psicanálise.